Google+

Se não souber o que usar, use Helvetica

By Marcos Singulano , In , , ,

Continuando um pouco mais nosso papo sobre tipografia, hoje vou falar da famosa HELVETICA.
Com certeza você já ouviu e viu esse nome por aí, muitos designers gráficos e aspirantes a designers gráficos (como eu) adoram e usam helvetica em praticamente tudo.

Contudo, esses dias estava pensando sobre tipografia e cheguei a seguinte conclusão: "Maravilha, eu adoro helvetica, mas eu sei realmente sua história? Eu mal consigo me lembrar do nome do criador da helvetica!"

Muito bem, por isso esse post (que vai servir mais de curiosidade) é minha tentativa de compartilhar um pouco sobre o que aprendi e encontrei por ai sobre a helvetica e sua história.

Vamos ao que interessa. A Helvetica foi criada por Max Miedinger em 1957, quando o mesmo já estava com 46 anos de idade e trabalhava como freelancer. Na verdade, antes de se chamar Helvetica, Miedinger batizou-a de Helvetia, que significa Suiça (por isso você pode encontrar muitas obras pela internet feitas com a bandeira da Suiça e a fonte helvetica).

Max Miedinger projetou a helvetica totalmente sem serifa e com um design bastante limpo buscando sempre o máximo de legibilidade, por isso ela é muito usada em sinalizações em grandes cidades, bem como anúncios e cartazes publicitários ( uma curiosidade: a helvetica foi usada como sinalização no metrô da cidade de São Paulo e foi substituída este ano pela helvetica bold).

A grande popularização da helvetica aconteceu nos anos 60 e 70 (onde a frase do título deste post ficou famosa entre artistas e designer gráficos) até a criação da fonte Univers por Adrian Frutiger, o que levou Max Miedinger atualizar o projeto da Helvetica rebatizando-a de Neue Helvetica (que significa Nova Helvetica).

Nos computadores e na web, o projeto de Miedinger é muito popular principalmente em softwares Apple. Caso você tenha um computador com Windows é pouco provável que ele possua a fonte Helvetica já instalada. No caso dos softwares Microsoft, alguns afirmam que a fonte Arial é uma cópia inferior da Helvetica.

Agora, se você quer realmente se aprofundar no assunto e conhecer um pouco mais sobre essa famosa família tipográfica, recomendo o documentário "Helvetica" de Gary Hustwit. O filme realizado em 2007 ( aniversário de 50 anos do projeto de Miedinger), conta a história da Helvetica e também sobre cultura visual e design gráfico em geral. O mais interessante é que o diretor se preocupou em mostrar os dois lados da moeda, ou seja, artistas que defendem e criticam essa fonte tão famosa.

Garanto que depois de ver esse filme, você nunca mais vai olhar para uma placa na rua da mesma maneira.

Além disso, o filme conta com entrevistas com artistas renomados como Stefan Sagmeister e Massimo Vignelli. Se você quiser saber mais sobre o filme, recomendo o site do mesmo AQUI .

Abaixo, um link com mais informações sobre o pai da Helvetica, Max Miedinger, de onde tirei algumas das informações deste post:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...